Seja bem-vindo(a)! Patos de Minas, 20 de outubro de 2021

Siga nossas Redes Sociais

Estudo do Catecismo | 2ª Seção: Profissão de fé

20/06/2021   .    Catecismo
Compartilhe

Capítulo I – Creio em Deus Pai todo Poderoso, criador do Céu e da terra.

Parágrafo 6: Criador do Céu e da Terra – o homem

O homem foi a última das criaturas visíveis criadas por Deus, que o criou à Sua imagem. O homem tem os dois aspetos da criação: o material e o espiritual, corpo e alma. Também foi criado com a distinção original: ‘homem e mulher’.  E foi criado para entrar em comunhão com Deus, vivendo em amizade com seu Criador.

O homem é a única criatura criada à ‘imagem de Deus’, pois só o homem tem a capacidade de conhecer e amar a Deus. Sendo assim, ele pode compartilhar a vida divina, porque tem a dignidade de ser uma ‘pessoa’. Pode assim entrar em comunhão com outras pessoas e com o próprio Deus. Todo o amor de Deus pelo homem na criação se torna mais claro ainda na Redenção em Cristo Jesus, que fez de toda a raça humana um só povo em seu amor.

A dignidade do homem também é expressa pelo fato de que ele é criado de alma e corpo. A alma e o corpo estão intimamente unidos, dando-lhe a condição de Ser corporal e espiritual. Esta unidade não quer dizer que estão confundidos de tal forma que o corpo se torna espírito e o espírito se torna corpo. Há a clara distinção entre o corpo e a alma e ambos se unem formando uma pessoa humana. Sem dúvida há certa importância dada à alma porque ela é imortal, mas não se deve desprezar o corpo. Ele será necessário para a ressurreição, pois será transformado em um corpo espiritual.

Ao criar o ser humano, Deus o criou distinto, como homem e mulher. Essa distinção original são realidades boas e não diminui a sua dignidade. A distinção entre homem e mulher não foi para que sentissem falta um do outro, mas para que ambos se complementassem. Por amor, o homem se une à mulher no matrimônio a fim de que possam viver unidos no amor e contribuir para a propagação do gênero humano e cooperar assim na obra do Criador.

A comunhão do homem e da mulher era perfeita no paraíso. Neste, o ser humano vivia em harmonia consigo mesmo, entre homem e mulher, com os outros seres da natureza e com Deus. Esta condição na qual vivia o homem no paraíso antes do pecado original é denominada de ‘Justiça Original’. Enquanto o homem vivesse em íntima comunhão com Deus ele permaneceria nesse estado e, por conseguinte, teria a felicidade verdadeira e a vida eterna.

Pe. José Antônio Ramos

Paróquia Santa Cruz de Guarda dos Ferreiros/MG

 

Cúria Diocesana

Rua Tiradentes, 388 - Centro Patos de Minas/MG - CEP 38700-134

Telefone

(34) 3821-3213 (34) 3821-3184