Seja bem-vindo(a)! Patos de Minas, 19 de setembro de 2021

Siga nossas Redes Sociais

AULA 18 – 1ª Parte, 2ª Seção, Capítulo II, Artigo 5, Parágrafo 1 e 2: Desceu aos infernos e ressuscitou dos mortos ao terceiro dia (631-638)

12/08/2021   .    Catecismo
Compartilhe

Ao falar da morte de Jesus é preciso incluir também o assunto da ressurreição, pois aquele que é a ‘ressurreição e a vida’ jamais ficaria no túmulo. Cristo morreu como qualquer ser humano, mas com a missão de redimir a humanidade. Ele desceu à mansão dos mortos e de lá tirou todos os adormecidos que aguardavam a salvação.

O mesmo Cristo que desce aos infernos sobe aos céus. É importante lembrar que Cristo realmente desce aos infernos para libertar tanto os justos quanto os injustos que o precederam. Isso significa que o alcance da libertação de Jesus é universal e n’Ele ninguém ficará morto. Após a vinda de Cristo, seus ensinamentos e exemplo, sua morte e ressurreição, todos têm a oportunidade de acolher a salvação.

A ressurreição de Jesus é uma verdade essencial da nossa fé. Ela foi um acontecimento histórico e, ao mesmo tempo, transcendente. Os evangelhos confirmam o fato histórico: o túmulo vazio, as aparições, primeiro às mulheres, depois a Pedro e por fim aos doze apóstolos. Estes puderam fazer a experiência do Cristo ressuscitado: tocaram n’Ele e Ele comeu com eles. Portanto, a fé na ressurreição está baseada em testemunhas oculares que também tiveram, no início, dificuldades para acreditarem no que estavam vendo.

Jesus ressuscitou verdadeiramente, sendo o seu corpo um corpo glorioso. Entretanto, além dessa constatação histórica e real, a ressurreição de Jesus é também um acontecimento transcendente. Cristo não ressuscitou apenas voltando à vida terrestre como Lázaro e a filha da viúva: Ele ressuscitou para a vida eterna. Ninguém explica como isso aconteceu, sendo então a ressurreição de Jesus um mistério de fé.

Na ressurreição de Jesus está presente a Trindade; ela é obra da Trindade e não de apenas uma das pessoas divinas. O Pai ressuscita o Filho na Santidade do Espírito Santo. Este mistério revela o poder de Deus por meio da fragilidade da morte de Cristo e sua extrema proximidade ao ser humano.

Assim, a ressurreição de Jesus dá sentido para nossa fé porque é por meio dela que cremos na nossa ressurreição. Jesus, ao morrer, nos salva do pecado e, ao ressurgir, abre-nos as portas do céu. Ao descer aos infernos ele anuncia a boa nova aos justos e injustos e permite a quem quiser alcançar a glória eterna no Céu.

Pe. José Antônio Ramos

Paróquia Santa Cruz de Guarda dos Ferreiros/MG

Cúria Diocesana

Rua Tiradentes, 388, Centro Patos de Minas - MG - CEP: 38700-134

Telefone

(34) 3821-3213 (34) 3821-3184