Seja bem-vindo(a)! Patos de Minas, 04 de dezembro de 2021

Siga nossas Redes Sociais

Aula 29 – 2ª parte, Primeira seção, Capítulo I – O Mistério Pascal no Tempo da Igreja, artigo 1 – A Liturgia, Obra da Santíssima Trindade

28/10/2021   .    Catecismo
Compartilhe

Já vimos na primeira parte do Catecismo sobre a Economia da Salvação ao estudar o Símbolo da fé, o Credo. Veremos agora sobre a Economia Sacramental, ou seja, como a Igreja celebra o Mistério da Salvação. Primeiramente será feito uma introdução sobre liturgia e depois será apresentado cada sacramento.

A Palavra liturgia significa ‘serviço da parte do povo em favor do povo’. Na liturgia diz respeito à obra de Cristo e à ação da Igreja que reza, louva, adora e oferece sacrifícios a Deus Pai por meio do Filho no Espírito. Na liturgia os fiéis são instruídos de forma particular sobre os mistérios de Cristo, dos quais eles participam. Em Pentecostes começa o tempo da Igreja, mas Cristo continua agindo no mundo, agora por meio dos sacramentos.

Deus nos escolheu como seus filhos amados e quer nos abençoar. Toda a obra de Deus é uma benção desde o início da criação, passando por Noé, Abraão, pelos eventos acontecidos com o povo de Israel até a terra prometida. De modo particular, na liturgia da Igreja a benção de Deus é plenamente revelada e comunicada, pois celebra o Mistério da morte e ressurreição de Cristo. Pela liturgia a Igreja bendiz ao Pai pelas suas bênçãos concedidas ao seu povo e oferece o sacrifício de seus dons.

Cristo age pelos sacramentos fazendo com que eles realizem na vida dos fiéis o que representam pelos sinais visíveis. Na liturgia da Igreja é Cristo que significa e realiza o que representa os sacramentos. Os apóstolos, autorizados por Cristo, ao receberem o Espírito Santo, têm o poder de santificar pelos sacramentos. Assim, todo ministro ordenado têm o poder que foi conferido aos apóstolos para santificar. Cristo está presente na liturgia terrestre de forma real e, assim, toda a liturgia da Igreja, de forma especial a Eucaristia, é uma participação na liturgia celeste.

O Espírito Santo age na Igreja, assim como agiu na história da salvação, fazendo com que ela realize uma verdadeira liturgia. Nesta, celebramos a obra da salvação de Deus presente na antiga e na nova aliança. O Espírito Santo prepara a Igreja para acolher a Cristo na manifestação plena de Deus pelo Mistério Pascal. A Igreja relê os principais eventos históricos à luz da revelação plena em Cristo. Por isso, na liturgia judaica está presente muitos aspectos celebrados na liturgia cristã.

O Espírito Santo recorda o Mistério Pascal de Cristo. De modo particular, na Sagrada Eucaristia a Igreja invoca a ação do Espírito Santo para que sua oferenda seja agradável a Deus. Primeiro na Anamnese, que significa ‘fazer memória’ da obra salvífica de Deus e depois pela Epiclese, que significa ‘invocação sobre’. Ao fazer memória da obra salvífica de Deus no momento mais forte da celebração eucarística o padre pede ao Espírito, pela ‘Epiclese’, que atualize o Mistério de Salvação realizado por Cristo. Assim, pela ação do Espírito Santo a Igreja oferece sua oração ao Pai, unida a Cristo como corpo e esposa de Cristo cabeça e esposo.

Pe. José Antônio Ramos

Paróquia Santa Cruz de Guarda dos Ferreiros/MG

 

Cúria Diocesana

Rua Tiradentes, 388 - Centro Patos de Minas/MG - CEP 38700-134

Telefone

(34) 3821-3213 (34) 3821-3184