Seja bem-vindo(a)! Patos de Minas, 28 de setembro de 2021

Siga nossas Redes Sociais

AULA 15 – 1ª Parte, 2ª Seção, Capítulo II, Artigo 3, Parágrafo 3 Os mistérios da vida de Cristo (n. 512-570)

23/07/2021   .    Catecismo
Compartilhe

Os mistérios da vida de Cristo se encontra implícito nos mistérios da Encarnação e da Páscoa. Por isso, para entender a vida oculta e pública, ou seja, sua vida terrena, é preciso debruçar sobre esses dois mistérios. O CIC apresenta alguns elementos comuns a todos os mistérios da vida de Cristo, sua vida oculta e sua vida pública.

Toda a vida de Cristo é mistério, mas só podemos compreender os mistérios da infância, vida oculta e pública de Jesus olhando para a Encarnação e a Páscoa. Os evangelhos não falam muito da vida de Cristo porque o objetivo dos evangelistas é levar o leitor da Palavra a acreditar em Jesus. São João diz que tudo foi escrito “… para que acrediteis que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus e, para que, acreditando, tenhais a vida em seu nome” (Jo 20,31). Assim, a vida terrena de Jesus é como um ‘sacramento’ que revela a sua divindade e mostra o amor misericordioso de Deus para com a humanidade e chamar a todos para entrar em comunhão com ele.

Na infância e da vida oculta de Jesus percebe-se o quanto Deus quis se tornar próximo do ser humano, pois se tornou homem. Jesus foi a única pessoa importante do mundo que foi prenunciado por séculos por meio de ritos, sacrifícios e profecias. Os mistérios da infância de Jesus mostra que, ao pertencer a uma família humana, se tornar humano com os homens, ele se une, de certa forma, a cada ser humano. Os mistérios da infância de Jesus, a saber, seu nascimento, a circuncisão, a fuga pro Egito, a apresentação no tempo e o reencontro no templo revela que Deus quis pertencer a uma família, a um povo, mas que veio para salvar o mundo inteiro.

Nos mistérios da vida pública de Jesus percebe-se que ele veio ao mundo por um propósito: salvar a humanidade do pecado e da morte. Assim, Ele recebeu o batismo de João, batismo de penitência, sofre a tentação no deserto e, ao contrário de Adão que sucumbiu à tentação, Jesus vence a tentação e ao demônio. Jesus inicia sua missão dizendo “O Reino de Deus está próximo, convertei-vos e crede no Evangelho” (Mc 1,14-15). E ao anunciar o Reino por palavras e atos, realizando muitos sinais e prodígios, Jesus Inaugura o Reino Deus na Terra, que se torna presente por meio da Igreja. A entrada de Jesus em Jerusalém confirma que ele é o Rei humilde, o servo sofredor, que salva o ser humano dos pecados e o faz entrar na família de Deus, a Igreja.

Pe. José Antônio Ramos
Paróquia Santa Cruz de Guarda dos Ferreiros/MG

Cúria Diocesana

Rua Tiradentes, 388, Centro Patos de Minas - MG - CEP: 38700-134

Telefone

(34) 3821-3213 (34) 3821-3184