Seja bem-vindo(a)! Patos de Minas, 22 de outubro de 2021

Siga nossas Redes Sociais

Paróquia São Sebastião

Compartilhe

Pároco

Pe. Sebastião Paulino da Silva

Igreja Matriz

Rua Tulipa, 500 - Flores Serra do Salitre

Telefone

(34) 3833-1172

Whatsapp

(34) 99809-1795

E-mail

pssebastiaossalitre@gmail.com

68ª Freguesia de São Sebastião da Serra do Salitre, Estado de Minas, criada pela Lei Provincial Nº 1617 de 2 de Novembro de 1869 com as mesmas divisas do distrito. O Orago é o mesmo, S. Sebastião. Pertence à 5ª Vara Forânea da 5ª Vigaria Geral. Foi suprimida pela Lei nº 1690 de 3 de Outubro de 1870 e restaurada pela Lei de 2 de Outubro de 1871.

Párocos, Padre Francisco José da Silva, Encomendado. Provisão de 22 de Abril de 1870. Exonerado a 2 de Dezembro de 1875.

Padre Vicente Ferreira de Estrella, Encomendado. Provisão de 3 de Dezembro de 1875. A seu pedido, exonerado a 21 de Abril de 1876.

Padre Joaquim Felix Abrão de Souza, Encomendado. Provisão de 15 de Setembro de 1876. Tomou posse e prestou juramento a 15 de Outubro conforme  ofício de mesma data. Exonerado por portaria de 11 de Novembro de 1889.

Padre Acácio João Ferreira, Encomendado. Provisão dada em Julho de 1897.

Denominação

Teve princípio este Curato em um mil oitocentos e trinta (1830) e em um mil oitocentos e trinta e quatro (1834) foi a época em que se começou a edificação da actual Matriz; enfim segundo as informações que se pode colher das pessoas de mais conhecimento que já nesse tempo existiram aqui; sendo de tempos anteriores a existência do mesmo povoado, com o nome que até hoje conserva de São Sebastião da Serra do Salitre.

Limites da Paróquia e primeiros capelães.

Esta Paróquia limita-se uma parte com as Paróquias de Carmo do Parnahyba, e São Francisco das Chagas: a Oeste com as divisas todas da Cidade do Araxá e Patrocínio: ao Norte com a de S. Anna do Parnahyba e ao Sul com a de responso. Desde mil oitocentos e trinta que já era ocupado este curato pelos capelães seguintes:

1º  Pe. José Ferreira Estrella, em que data ignora-se.

2º  Supõe-se ser o Padre Silvestre Pereira Furtado.

3º  Pe. José do O°

4º  Pe. Veríssimo de Souza

5º  Pe. João de Moraes

6º  Pe. Joaquim de Souza

7º  Pe. José Caetano

8º  Pe. José Theobaldo

9º  Pe. João Carneiro de Castro

10º Pe. Vicente Ferreira de Estrella

11º Pe. Francisco José da Silva

12º Pe. Joaquim Felix dos Santos

13º Pe. Fr. Nicolau Catalau, Provisão de 27 de Junho de 1901

        Pe. Fr. Florêncio Luis, Provisão de 27 de Junho de 1903

        Pe. Fr. Agostinho Chistobal, Provisão de 1º de Janeiro de 1905

Depois esteve vaga a Freguesia de oito a nove anos encarregada por sua Excellencia Reverendíssima os Revdos. Senhores Vigário Modesto Marques Ferreira, dono da Parochia de Patrocínio. O Pe. Accursio João Ferreira, Este curato desde sua criação pertenceu para aqui ao antigo julgado do Desemboque; mais tarde a Parochia de São Domingos do Araxá e ultimamente a Nossa Senhora do Patrocínio.

Obs.: O texto citado nesse histórico é parte do que se encontra no livro de tombo da Diocese de Goiás.

 Lista dos Párocos e Capelães da Paroquia de São Sebastião a partir de 1830

1º  Pe. José Ferreira Estrella, em que data ignora-se.

2º  Supõe-se ser o Padre Silvestre Pereira Furtado.

3º  Pe. José do O°

4º  Pe. Veríssimo de Souza

5º  Pe. João de Moraes

6º  Pe. Joaquim de Souza

7º  Pe. José Caetano

8º  Pe. José Theobaldo

9º  Pe. João Carneiro de Castro

10º Pe. Francisco José da Silva, 1870 (Primeiro Pároco)

11º Pe. Vicente Ferreira de Estrella, 1875            

12º Pe. Joaquim Felix Abraao de Souza, 1876

13º Pe. Acácio João Ferreira, 1897

14º Pe. Joaquim Felix dos Santos

15º Pe. Fr. Nicolau Catalau, Provisão de 27 de Junho de 1901

16º Pe. Fr. Florêncio Luis, Provisão de 27 de Junho de 1903

17º Pe. Fr. Agostinho Chistobal, Provisão de 1º de Janeiro de 1905

18º Pe. Ângelo Sagastunes, 1906

19º Pe. Ângelo Benito, 1906

20º Pe. Fr. Agostinho Chistobal, 1906

21º Pe. Francisco Pessoa, 1915

22º Pe. Anastácio Afonso Dalla Riva

23º Pe. Antônio Nogueira, 1921

24º Pe. Gregório Lombrano, 1925

25º Pe. Antônio Cerbella, 1926

26º Pe. André Aguine, 1926

27º Pe. Joaquim Thiago dos Santos, 1928

28º Pe. Philiberto Braun, 1930

29º Pe. Ambrosio, 1931

30º Pe. Damião Klever Kamp, 1932

31º Pe. Lamberto, 1935

32º Pe. Henrique Oliver, 1935

33º Pe. Fr. Conrado de Croina, 1936

34º Pe. Jeronymo Rerzen, 1936

35º Pe. Martinho Von Bert, 1936

36º  Pe. João Batista Catânia, 1937

37º   Pe. Antônio de Gangi, 1937

38º Pe. Agenor Pedroso, 1938

39º Pe. José Vitor, 1939

40º Pe. Domingos Cassiano, 1950

41º Pe. Olímpio Olivieri, 1950

42º Pe. Domingos Caetano, 1950

43º Pe. Bertoldo, 1958

44º Pe. João Dias de Castro, 1968

45º Pe. Osmar Machado Couto, 1983

46º Pe. João Gonçalves, 1983

47º Pe. Vicente Ferreira Lima, 1983

48º Monsenhor Izael dos Reis, 1991

49º Pe. Vanderly Francisco de Souza, 1994

50º Pe. Luiz Carlos Pinheiro Caldas, 1994

51º Pe. Aureliano de Souza Aguiar, 2001

52º Pe. Antônio Rodrigues Carneiro, 2005

53º Pe. Osvaldo Lopes Camargos, 2006

54º Pe. Roberto Gama Rosa, 2007

55º Pe. Juscelino Caporale Mariano, 2007

56º Pe. Edgar Gonçalves Caixeta, 2013

57º Pe. Sebastião Paulino da Silva, 2019

COMUNIDADES DA PARÓQUIA

  • Comunidade Marques (São José) – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Santa Cruz (Santa Cruz) – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Grota do Cedro – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Catulés (Nossa Senhora do Perpétuo Socorro) – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Barra do Salitre (Capela Nossa Senhora Aparecida) – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Catiara (Imaculada Conceição) – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Assentamento – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Abacaxis (São João Batista) – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Areia (Nossa Senhora Aparecida) – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade São Cristóvão – Urbana

    Serra do Salitre
  • Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Urbana

    Serra do Salitre
  • Comunidade Nossa Senhora do Rosário – Urbana

    Serra do Salitre
  • Comunidade São José – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Matriz de São Sebastião – Urbana

    Serra do Salitre
  • Comunidade Marques (São José) – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Santa Cruz (Santa Cruz) – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Grota do Cedro – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Catulés (Nossa Senhora do Perpétuo Socorro) – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Barra do Salitre (Capela Nossa Senhora Aparecida) – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Catiara (Imaculada Conceição) – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Assentamento – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Abacaxis (São João Batista) – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Areia (Nossa Senhora Aparecida) – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade São Cristóvão – Urbana

    Serra do Salitre
  • Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Urbana

    Serra do Salitre
  • Comunidade Nossa Senhora do Rosário – Urbana

    Serra do Salitre
  • Comunidade São José – Rural

    Serra do Salitre
  • Comunidade Matriz de São Sebastião – Urbana

    Serra do Salitre

HISTÓRIA DO PADROEIRO

São Sebastião, defensor da Igreja e apóstolo dos confessores, daqueles que eram presos


O santo de hoje nasceu em Narbonne; os pais eram oriundos de Milão, na Itália, do século terceiro. São Sebastião, desde cedo, foi muito generoso e dado ao serviço. Recebeu a graça do santo batismo e zelou por ele em relação à sua vida e à dos irmãos.

Ao entrar para o serviço no Império como soldado, tinha muita saúde no físico, na mente e, principalmente, na alma. Não demorou muito, tornou-se o primeiro capitão da guarda do Império. Esse grande homem de Deus ficou conhecido por muitos cristãos, pois, sem que as autoridades soubessem – nesse tempo, no Império de Diocleciano, a Igreja e os cristãos eram duramente perseguidos –, porque o imperador adorava os deuses. Enquanto os cristãos não adoravam as coisas, mas as três Pessoas da Santíssima Trindade.

Esse mistério o levava a consolar os cristãos que eram presos de maneira secreta, mas muito sábia; uma evangelização eficaz pelo testemunho que não podia ser explícito.

São Sebastião tornou-se defensor da Igreja como soldado, como capitão e também como apóstolo dos confessores, daqueles que eram presos. Também foi apóstolo dos mártires, os que confessavam Jesus em todas as situações, renunciando à própria vida. O coração de São Sebastião tinha esse desejo: tornar-se mártir. E um apóstata denunciou-o para o Império e lá estava ele, diante do imperador, que estava muito decepcionado com ele por se sentir traído. Mas esse santo deixou claro, com muita sabedoria, auxiliado pelo Espírito Santo, que o melhor que ele fazia para o Império era esse serviço; denunciando o paganismo e a injustiça.

São Sebastião, defensor da verdade no amor apaixonado a Deus. O imperador, com o coração fechado, mandou prendê-lo num tronco e muitas flechadas sobre ele foram lançadas até o ponto de pensarem que estava morto. Mas uma mulher, esposa de um mártir, o conhecia, aproximou-se dele e percebeu que ele estava ainda vivo por graça. Ela cuidou das feridas dele. Ao recobrar sua saúde depois de um tempo, apresentou-se novamente para o imperador, pois queria o seu bem e o bem de todo o Império. Evangelizou, testemunhou, mas, dessa vez, no ano de 288 foi duramente martirizado.

São Sebastião, rogai por nós!

Cúria Diocesana

Rua Tiradentes, 388 - Centro Patos de Minas/MG - CEP 38700-134

Telefone

(34) 3821-3213 (34) 3821-3184