Seja bem-vindo(a)! Patos de Minas, 17 de setembro de 2021

Siga nossas Redes Sociais

Paróquia São João Batista

Compartilhe

Pároco

Pe. Divino José Gonçalves

Festa do Padroeiro

24/06

Igreja Matriz

Praça São João Batista, 250 - Centro Arapuá

Telefone

(34) 3856-1213

E-mail

parapuasjb@yahoo.com.br

PARÓQUIA SÃO JOÃO BATISTA

No ano de 1891, o senhor Luiz Cassiano da Silva fez doação de meia quarta de terra a São João e o senhor Francisco Barbosa fez doação de dois pratos de terra ao mesmo Santo, doação feita a palavras, sem passar documento algum. Neste terreno, construiu-se  uma ermidazinha, em honra a São João Batista, e levantou-se uma cruz. A ermidazinha nunca foi benta. No ano de 1908, o Padre Heriberto Antonio Goettersforfer, Vigário de São Francisco das Chagas de Campo Grande, visitando o povo desta localidade, no dia 27 de fevereiro do dito ano, achando que a ermidazinha coberta de telhas era insuficiente para comportar o povo nos dias da Missa, nomeou uma comissão composta dos seguintes senhores: Presidente: Eduardo Augusto de Medeiros; Procuradores: João Domingues de Araújo, Tibúrcio Ferreira Mendes, Antônio Alves Queiroz, Antônio Maria Bontempo, Hercolino de Souza Teixeira e Antônio Jeronymo Borba. Com palavras cheias de zelo apostólico, o supracitado Vigário aconselhou os membros da comissão a trabalhar, pedindo auxílios para construir o corpo da Capela. Mediante a boa vontade do povo e o zelo da comissão, foi construído o corpo da Capela e, pela primeira vez, o Vigário de São Francisco das Chagas celebrou a Santa Missa na Capela reformada. Desde esta época, os Vigários de São Francisco das Chagas visitaram mais a miúdo esta localidade e, com o ardor do povo, foram-se construindo umas casinhas em redor da Capela, que ainda existem.

No ano de 1925, esta localidade foi visitada pela primeira vez pelo Exmo Senhor Bispo Diocesano Dom Manoel Nunes Coelho, o qual foi recebido com manifestações de alegria, num grande movimento religioso. No ano de 1927, no dia 17 de maio, o Exmo Senhor Francisco Carlos Pereira de Andrade, por delegação especial do Exmo Senhor Juiz de Direto da Comarca de Carmo do Paranaíba, presenciou a ata de instalação do distrito de São João de Arapuá. Em conformidade com o artigo 8º da Lei nº 879 de 24 de janeiro de 1925, foi lavrado o termo e assinado pelo Exmo Senhor Francisco Carlos Pereira de Andrade, como delegado Especial do Exmo Senhor Juiz de Direito de Carmo do Paranaíba e por outras pessoas presentes no ato. No mesmo ano, foram eleitas as autoridades distritais, Escrivão de Paz, Juiz de Paz e Inspetor de Quarteirão, ficando neste estado até o ano de 1931. A localidade era visitada, de 3 em 3 meses, pelos Vigários da Paróquia de São Francisco.

No dia 11 de Outubro de 1931, o Vigário de São Francisco, o Pe. Pellegrino Guarino, com consentimento do Exmo Senhor Bispo Diocesano, Dom Manoel Nunes Coelho, passou a residir em São João Batista de Arapuá, continuando a exercer o cargo de Vigário de São Francisco das Chagas do Campo Grande, mas residindo em Arapuá.

No ano de 1932, o referido Padre, conhecendo a necessidade que tinha o distrito de São João de Arapuá de ter um Vigário próprio, para trabalhar com mais eficácia e conseguir maior aproveitamento espiritual, procurou aconselhar e animar os fiéis a trabalharem para formar o patrimônio da Capela a beneficio do Seminário, a fim de ser criada a freguesia de Arapuá. Este trabalho foi interrompido no mês de janeiro de 1933, quando o Padre Pellegrino Guarino foi transferido para Vigário da Freguesia de São Gotardo.

No ano de 1934, o referido Padre, por determinação do Exmo Bispo Diocesano, voltou para Arapuá, como Vigário de São Francisco, e continuou o trabalho para a formação do Patrimônio.

Finalmente, no ano de 1936, devido ao trabalho do Vigário e a boa vontade do povo, concluiu-se o patrimônio, ao entregar nas mãos do Exmo Senhor Bispo Diocesano a quantia de doze contos de réis, no dia 30 de outubro de 1936, entrega feita pessoalmente pelo Pe. Pellegrino Guarino. No mesmo ano, a 10 de novembro, por decreto do Exmo Senhor Bispo Diocesano, Dom Manoel Nunes Coelho, foi criada a nova freguesia de São João Batista de Arapuá, ficando a mesma sob a regência do Vigário de São Francisco, Pe. Pellegrino Guarino, até o fim do ano de 1936, quando foi provisionado como primeiro Vigário de São João Batista de Arapuá.

Tendo recebido do Exmo. Senhor Bispo Diocesano as provisões nomeando-o Vigário de São João Batista de Arapuá, Paróquia ultimamente criada no dia 01 de janeiro de 1937, na estação da Missa Paroquial, depois de ter lido as provisões, na presença do povo, declarou inaugurada a Freguesia de Arapuá.

COMUNIDADES DA PARÓQUIA

HISTÓRIA DO PADROEIRO

João Batista, grande anunciador do Reino e denunciador dos pecados


Com muita alegria, a Igreja, solenemente, celebra o nascimento de São João Batista. Santo que, juntamente com a Santíssima Virgem Maria, é o único a ter o aniversário natalício recordado pela liturgia.

São João Batista nasceu seis meses antes de Jesus Cristo, seu primo, e foi um anjo quem revelou seu nome ao seu pai, Zacarias, que há muitos anos rezava com sua esposa para terem um filho. Estudiosos mostram que possivelmente depois de idade adequada, João teria participado da vida monástica de uma comunidade rigorista, na qual, à beira do Rio Jordão ou Mar Morto, vivia em profunda penitência e oração.

Pode-se chegar a essa conclusão a partir do texto de Mateus: “João usava um traje de pêlo de camelo, com um cinto de couro à volta dos rins; alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre”. O que o tornou tão importante para a história do Cristianismo é que, além de ser o último profeta a anunciar o Messias, foi ele quem preparou o caminho do Senhor com pregações conclamando os fiéis à mudança de vida e ao batismo de penitência (por isso “Batista”).

Como nos ensinam as Sagradas Escrituras: “Eu vos batizo na água, em vista da conversão; mas aquele que vem depois de mim é mais forte do que eu: eu não sou digno de tirar-lhe as sandálias; ele vos batizará no Espírito Santo” (Mateus 3,11).

Os Evangelhos nos revelam a inauguração da missão salvífica de Jesus a partir do batismo recebido pelas mãos do precursor João e da manifestação da Trindade Santa. São João, ao reconhecer e apresentar Jesus como o Cristo, continuou sua missão em sentido descendente, a fim de que somente o Messias aparecesse.

Grande anunciador do Reino e denunciador dos pecados, ele foi preso por não concordar com as atitudes pecaminosas de Herodes, acabando decapitado devido ao ódio de Herodíades, que fora esposa do irmão deste [Herodes], com a qual este vivia pecaminosamente.

O grande santo morreu na santidade e reconhecido pelo próprio Cristo: “Em verdade eu vos digo, dentre os que nasceram de mulher, não surgiu ninguém maior que João , o Batista” (Mateus 11,11).

São João Batista, rogai por nós!

Cúria Diocesana

Rua Tiradentes, 388, Centro Patos de Minas - MG - CEP: 38700-134

Telefone

(34) 3821-3213 (34) 3821-3184