Seja bem-vindo(a)! Patos de Minas, 18 de abril de 2021

Siga nossas Redes Sociais

Paróquia Nossa Senhora do Patrocínio

Compartilhe

Pároco

Pe. Marcos Antônio dos Santos

Vigário Paroquial

Pe. Pedro Cezar Lopes

Igreja Matriz

Rua Professor Olímpio dos Santos, 1008 - Centro Patrocínio

Telefone

(34) 3831-1134

Whatsapp

(34) 98857-1570

E-mail

paroquiansradopatrocinio@yahoo.com.br

COMUNIDADES DA PARÓQUIA

  • Comunidade Malhadouro – Rural

    Patrocínio
  • Comunidade Tejuco – Rural

    Patrocínio
  • Comunidade Santa Luzia – Urbana

    Patrocínio
  • Comunidade Matriz – Urbana

    Patrocínio
  • Comunidade Morro Alto – Rural

    Patrocínio
  • Comunidade Malhadouro – Rural

    Patrocínio
  • Comunidade Tejuco – Rural

    Patrocínio
  • Comunidade Santa Luzia – Urbana

    Patrocínio
  • Comunidade Matriz – Urbana

    Patrocínio
  • Comunidade Morro Alto – Rural

    Patrocínio

HISTÓRIA DO PADROEIRO

ORIGEM DA DEVOÇÃO

A devoção à Virgem Maria sob a invocação Nossa Senhora do Patrocínio tem sua origem na festa do “Patrocínio de Nossa Senhora”. Chama-se “Patrocínio”, em liturgia, a festa em honra de algum santo para venerá-lo e venerando-o agradecer-lhe sua proteção, intercessão, patrocínio; não se confunde com a festa principal daquele santo, por isso mesmo é celebrada em dia diferente. Duas foram as principais festas de “patrocínio”. O patrocínio de Nossa Senhora e o patrocínio de São José. Digo foram, pois, como veremos, no calendário litúrgico atual não se celebram mais festas da referida classe.

Foi na Espanha e em seus extensos domínios onde se começou a celebrar esta festa concedida a pedido do rei Felipe IV, pelo Papa Alexandre VII na bula Praeclara Christianissimi, de 28 de julho de 1656. Liturgistas dignos de créditos afirmam que se concedeu a festa em ação de graças pelas vitórias obtidas pela Espanha contra os sarracenos e contra os hereges; porém no texto da citada Bula se expressa claramente o motivo da petição que é simplesmente dar graças a Santíssima Virgem pelos múltiplos benefícios, quae ab illa accepisse pro affectu profitetur (o Rei). No princípio celebrava-se a festa, em geral, no terceiro domingo de novembro.

A devoção a esta festa foi-se propagando, a exemplo da Espanha. Bento XIII, em 03 de agosto de 1725, mandou celebrá-la em todo o Estado Pontifício, no segundo Domingo de novembro; logo se foi concedendo a muitas regiões e Dioceses para um Domingo de novembro que assinalasse o Ordinário do lugar; também as muitas ordens religiosas como as três ordens franciscanas, a Companhia de Jesus etc.

Os fundamentos teológicos da festa do patrocínio expõe-nos Bento XIV em sua clássica obra De Festis, livro II, cap.13. No tempo de Bento XIV planejou-se uma tentativa de reforma do Breviário e do Calendário litúrgico, e no plano já completamente redigido suprimia-se a festa do patrocínio além de muitas outras; mas não foi do agrado do Pontífice e a reforma não foi aprovada. Foi Pio X quem levou a cabo uma grande reforma litúrgica, forçando as Dioceses a abandonarem seus calendários particulares para usarem o da Igreja universal, com acréscimo somente das festas estritamente próprias de cada Igreja particular. Assim, a partir de 1915, desapareceu de todos os calendários litúrgicos dentre muitas outras, a festa do patrocínio de Nossa Senhora, sendo celebrada, desde então, somente no lugar e onde é titular de alguma igreja consagrada.

Fonte: https://igrejasaobenedito.com.br/nspatrocinio/

Cúria Diocesana

Rua Tiradentes, 388, Centro Patos de Minas - MG - CEP: 38700-134

Telefone

(34) 3821-3213 (34) 3821-3184