Seja bem-vindo(a)! Patos de Minas, 04 de agosto de 2021

Siga nossas Redes Sociais

Paróquia Nossa Senhora da Abadia

Compartilhe

Pároco

Pe. Lucimar José da Silva

Igreja Matriz

Rua Osvaldo Rodrigues, 646 - Centro Matutina

Telefone

(34) 3674-1271

Whatsapp

(34) 3674-1271

E-mail

paroquia.abadiamatutina@outlook.com

HISTÓRIA DA PARÓQUIA

Ao encontro do desejo do povo de Matutina desta diocese de Nossa Senhora do Aterrado a qual pertence a paróquia de Sebastião em São Gotardo, atendendo ao acréscimo de sua população e dificuldade de acesso à sede da Paróquia em São Gotardo e os fiéis não podem frequentar regularmente a matriz e receber os santos sacramentos e assistir os ofícios Divinos. Ouvindo o parecer do pároco achamos por bem dividir e desmembrar Matutina da Paróquia de São Gotardo. Ficando assim território da nova paróquia cuja as divisões são as seguintes: começando na lagoa dos Francos em frente ao córrego do Franco por este abaixo até a barra no córrego da confusão por este abaixo até a sua barra com o rio Abaeté, por este descendo até a foz do córrego dos arrependido e por ele acima até a cabeceira e no mesmo descendo pelo córrego dos criolos e córrego Maria Preta abaixo até a entrada no Rio Borrachudo. Daqui até a cabeceira do córrego Pirapitinga que morre no e por ele acima até a barra do rio Funchal, por ele acima até a barra do córrego Sertãozinho, por ele acima até a sua cabeceira daí rumo a nascente do córrego fundo e por este abaixo até a ponte na rodovia estadual, subindo por esta até o espigão
sapecado até a cava situada rumo a nascente do córrego das Broas; descendo pelo mesmo até o rio borrachudo descendo abaixo até o córrego dos franquinhos e daqui até a lagoa dos Francos onde teve inicio a divisa. Limitada assim a nova paróquia que terá como padroeira Nossa Senhora da Abadia, cuja festa será celebrada anualmente aos 15 de agosto.

A construção paróquia teve inicio aos 02/04/1938. Nossos colaboradores Sizenando Morato, Manoel Martins Xavier Teófilo Olímpio Teixeira, Celestino Moreira que com seu carro de boi puxou quase todas as pedras para o alicerce entre outros que não mediram esforços para nos ajudar. Matutina viu seu primeiro pároco na pessoa do Revmo. Pe. José Tavares. A matriz foi construída na colina que dominava a vila e branca como uma garça ela prende a vista de todos os matutinenses e visitantes. Em 20 de junho de 1945 iniciou-se a construção da casa paroquial.

Em 24 e 25 de junho de 1945 a jovem paróquia recebeu a visita de seu pastor Dom Manuel Nunes Coelho.

Aos 30 de agosto de 1945 chegou à nova paróquia o seu 2º pároco na pessoa do Revmo. Pe. José Cirilo Pacheco que fez muito pela nossa paróquia. Não mediu esforços para terminar de construir e também pela espiritualidade de seus paroquianos.

Aos 02 de agosto de 1948 às 15h foi transportado da pequena capelinha para a matriz o sino, sendo colocado na torre e agosto celebrada a 1ª Missa no novo altar da matriz.

Em 15 de agosto de 1951, por ocasião das missões, foi benta a nossa matriz.

Em 28 de maio de 1954 foi inaugurado o alto falante da igreja podendo assim os paroquianos ouvir o terço e o sermão à distância.

Em 19/03/1960 foi benta a casa paroquial.

A primeira semana santa na paróquia foi de 03 a 10 de abril de 1961 e esta ficou gravada no coração de todos.
Em primeiro de outubro de 1962 iniciou o serviço de ampliação da matriz pois, com o crescimento da cidade, a mesma já estava ficando pequena e foi construída então as duas laterais feita pelo Revmo. Pe. Levy Lopes de Araújo.

Em 17 de julho de 1964 foi feita a primeira romaria da Paróquia a Aparecida do Norte.

Aos 06 de Setembro de 1964 foi celebrada na nova paróquia a 1ª Missa em português.

Em 12/10/1967 foi iluminada a parte nova da Matriz com lâmpadas flourescentes, dando um excelente resultado.

Em abril de 1980 a Paróquia tinha terra de todos os lados dificultando a chegada dos fiéis a porta da igreja então o Pároco Pe. Jorge colocou piso de cimento em toda a frente da igreja e construiu também uns canteiros para ser plantado flores.

Aos 27 de julho de 1999 o Revmo. Pe. Joel Bernardes Macêdo encerra em nossa paróquia os seus trabalhos pastorais. Pe. Joel último pároco da Diocese de Luz, pois de agora em diante nossa paróquia seria integrada à Diocese de Patos de Minas.

As últimas palavras de Pe. Joel escrita em nosso livro de tombo: “Que a virgem da Abadia possa nos mostrar como é bom amor o reino de Deus. Que ela nos proteja sempre.”

Dia 31 de julho de 1999 chega a nossa paróquia o Revmo. Pe. Olivar Constantino Peres, 1º pároco da Diocese de Patos de Minas.

No ano de 2001 o Revmo. Pe. Olivar Constantino Peres pintou toda a parte interna da igreja e capela do Santíssimo.

Em 05/11/2010 o Revmo. Pe. Rogério Bougleux Bruno trocou o som da igreja por um novo para melhor participação dos fiéis.

No ano de 2012 o Revmo. Pe. Adivaldo Vaz da Silveira reformou todo o telhado da igreja trocando as telhas e retirando as infiltrações da igreja.

E continuando as reformas no ano de 2014 foi feito toda a pintura da igreja. Primeiro a parte externa e em seguida a parte interna e o forro que ganhou nova forma. Nossa matriz ficou mais aconchegante e sua beleza atrai a todos os matutinenses e visitantes.

No ano de 2015 foi feita a reforma do presbitério, altar e capela do Santíssimo.

COMUNIDADES DA PARÓQUIA

HISTÓRIA DO PADROEIRO

Nossa Senhora da Abadia é um dos títulos da Virgem Maria. Esta invocação a Maria também é conhecida como Santa Maria do Bouro, pois se originou no Mosteiro (ou Abadia) do Bouro, próximo à cidade de Braga, em Portugal.

A imagem de Nossa Senhora da Abadia


A imagem de Nossa Senhora da Abadia representa Maria de pé, segurando nos braços o menino Jesus, que tem uma coroa na cabeça. Maria veste uma túnica branca com flores de cor rosa e azul. Um cinto vermelho passa por sua cintura. Por cima, um manto azul decorado com belas flores completa sua vestimenta. Na mão direita, Maria segura um cetro para guiar os seus filhos. Na cabeça, ela tem uma linda coroa.

Devoção a Nossa Senhora da Abadia


A devoção a Nossa Senhora da Abadia é muito antiga. Ela pertenceu a uma abadia (mosteiro cujo superior é um abade), conhecida como Mosteiro das Montanhas, que ficava na região do Bouro por volta do ano 883. Quando os muçulmanos invadiram Espanha e Portugal, os monges fugiram e esconderam a imagem da Santa. Muito tempo passou.

Redescoberta milagrosa da imagem de Nossa Senhora da Abadia


Mais tarde, por volta do ano 1100, um nobre ancião da corte portuguesa, chamado Pelágio Amado recebeu a graça da conversão. Ele abandonou sua vida de riquezas na corte e foi para a Ermida de São Miguel, perto de Braga. Lá ele viveu com um velho eremita que já vivia ali há muitos anos. Certa noite, os dois viram uma luz diferente que vinha do meio de um vale perto de onde estavam. Na noite seguinte o fato se repetiu. Então, os dois resolveram ir até o local quando se fez dia, para ver o que poderia estar fazendo brilhar aquela luz. Foi então que eles encontraram imagem de Nossa Senhora da Abadia escondida no meio das pedras. Os dois se prostraram agradecendo por esta graça tão especial.

A devoção recomeça


Por causa da redescoberta, os dois eremitas mudaram o casebre em que viviam para o local onde encontraram a Santa. Lá, eles ergueram uma pequena e rústica capela e colocaram a imagem de Nossa Senhora da Abadia. A notícia da descoberta correu e chegou aos ouvidos do arcebispo de Braga. Este foi visitar o local e, depois de ver a pobreza em que os dois eremitas viviam, mandou construir ali uma igreja de pedra lavrada, digna de abrigar os dois santos e a imagem de Nossa Senhora. Aos poucos, outros eremitas se uniram aos dois e a fama dos milagres de Nossa Senhora da Abadia se espalhou em Portugal. Peregrinações começaram a acontecer. Fiéis de todos os cantos vinham rezar, pedir e agradecer pelas graças alcançadas. D. Afonso Henriques, rei de Portugal, foi visitar o santuário e deixou ali uma grande doação para o culto e as necessidades daqueles servos de Deus.

A devoção chega ao Brasil


A devoção a Nossa Senhora da Abadia chegou ao Brasil através dos portugueses e se instalaram primeiramente na região do Triângulo Mineiro. Nessa região, várias cidades têm como Padroeira Nossa Senhora da Abadia. Com o tempo, a devoção passou para Goiás, principalmente em Muquém e na antiga capital, Vila Boa, que ainda conserva sua Igreja Matriz, construída no século XVIII. Atualmente um dos locais mais famosos pelas romarias é o de Nossa Senhora da Abadia da Água Suja, antigo centro de garimpagem de diamantes. O Santuário de Nossa Senhora da Abadia atrai todos os anos, no dia 15 de agosto, um grande número de devotos e a procissão é famosa. Em Uberaba também é grande a devoção a nossa Senhora da Abadia.

Oração a Nossa Senhora da Abadia


Senhora dos Navegantes, Filha dileta de Deus Pai, Mãe de Jesus, nosso Salvador. Esposa do Espírito Santo, eis-me aqui diante de vossa Imagem, para consagrar-me inteiramente a vós. Trago-vos, Senhora, minha vida, meu trabalho, os sofrimentos e as alegrias, as lutas e as esperanças, tudo que tenho e sou, para oferecer a vosso Filho, ó Maria. Peço vossa proteção para nunca abandonar a fé Católica sempre fiel a Jesus. Dai-me força para viver de verdade o amor fraterno e assumir minha responsabilidade de cristão no mundo. Ó Senhora da Abadia, aceitai-me como filho e guardai-me sob o vosso manto protetor.

Amém.

Fonte: Cruz Terra Santa

Cúria Diocesana

Rua Tiradentes, 388, Centro Patos de Minas - MG - CEP: 38700-134

Telefone

(34) 3821-3213 (34) 3821-3184