Seja bem-vindo(a)! Patos de Minas, 14 de junho de 2021

Siga nossas Redes Sociais

Um milagre na infância de Santo Antônio

06/06/2021   .    Artigos de Formação
Compartilhe

Muitos conhecem Santo Antônio apenas por sua fama de “santo casamenteiro”. Mas, sua vida e virtudes demonstraram que este homem de Deus foi muito além, tanto que chegou a ser reconhecido como a “Arca do Evangelho” e posteriormente como Doutor da Igreja.

Santo Antônio realizou milagres abundantemente durante toda a sua vida. E o que poucos sabem: isso começou desde pequeno…

Ele nasceu em Lisboa em 15 de Agosto de 1195. Seu nome de batismo era Fernando de Bulhões y Taveira de Azevedo. Só mais tarde adotou o nome de Antônio. Era filho de uma nobre família.

Seu pai se chamava Martim Afonso de Bulhões e sua mãe Maria Teresa Taveira, eram profundamente religiosos, e na família havia um parente frade chamado também Fernando.

Desde criança Santo Antônio foi de temperamento calmo e contemplativo. Na infância recebeu boa educação, vivia no conforto, mas sem luxo. Conta-se que desde cedo começou a realizar prodígios. Desde pequeno acompanhava os pais nas celebrações na catedral de Lisboa.

Os pardais e a plantação de trigo

O pai de Santo Antônio tinha uma plantação de trigo, e tinha receio que os pardais viessem comer as sementes recém-lançadas à terra. Precisando sair um pouco, seu pai recomendou-lhe não deixar os pardais comerem as sementes: “Não descuide e nem permita que esses pardais venham arruinar com a plantação”.

Mas isso não estava nos seus planos, ele pretendia ir até à igreja rezar um pouco. Mas antes de tudo devia obediência aos pais. Que fazer? Os pardais eram numerosos e voavam por sobre a plantação.

– Se fosse possível eu reuniria todos esses passarinhos num lugar onde ficassem presos e iria rezar na igreja. Mas será que isso é possível

E dirigindo-se aos pássaros gritou-lhes:

– Vamos passarinhos. Depressa. Todos para o celeiro. Eu não posso ficar aqui vigiando-os. Depressa. Todos para o celeiro que tenho que ir rezar na igreja.

Um a um, todos os passarinhos foram entrando para o celeiro indicado por Fernando. Este fechou a porta mansamente e vendo que não ficara nenhum fora saiu e foi para a igreja rezar.

Acontece que o pai de Fernando também era muito católico e passando pela igreja resolveu fazer uma prece. Entrou e ficou surpreso ao ver o filho. Mas ao mesmo tempo ficou furioso. Como se atrevia o menino a desobedecer suas ordens.

– Como teve coragem de me desobedecer, filho? Eu não lhe disse que ficasse em casa, na plantação, tomando conta do trigal. Agora as aves já devem ter comido todas as sementes.

Porque não me obedeceu, filho? Por quê?

– Não se preocupe, papai. Posso garantir que nenhuma semente foi comida pelas aves. Eu as prendi todas no celeiro.

O pai sorriu ouvindo o que o filho dizia. Deve ser fruto de sua imaginação infantil, pensou. Ficou com medo do castigo que eu lhe impus.

– Venha papai, vou lhe mostrar, ajuntou Fernando.

Sorrindo da “mentira infantil” o pai seguiu-o. Ficou surpreso quando não viu nenhuma das aves pelo céu.

Fernando, tomando o pai pela mão, conduziu-o ao celeiro abrindo a porta. Martim ficou deslumbrado. Dentro do celeiro as aves agrupadas mantinham-se calmas, como se esperassem uma ordem do menino.

Já imaginou?

Este é um dos muitos milagres e prodígios que aconteceram na vida deste grande amigo de Deus.

Fonte: Cléofas 

 

Cúria Diocesana

Rua Tiradentes, 388, Centro Patos de Minas - MG - CEP: 38700-134

Telefone

(34) 3821-3213 (34) 3821-3184