Seja bem-vindo(a)! Patos de Minas, 01 de julho de 2022

Siga nossas Redes Sociais

Professor Fernando Altemeyer Jr faz análise detalhada sobre o rosto da Igreja na América Latina e no Caribe

06/12/2021   .    Notícias da Igreja
Compartilhe

A Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe revelou a diversidade de rostos e realidades, tanto eclesiais como sociais, presentes no continente. O conhecimento dos dados nos ajuda a elaborar análises mais precisas e, a partir daí, a discernir com maior precisão o caminho a seguir.

Este trabalho foi realizado pelo professor Fernando Altemeyer Junior, que fez uma análise detalhada da realidade eclesial da América Latina e do Caribe, levando em conta diferentes elementos: católicos romanos, a porcentagem que representam da população, circunscrições eclesiásticas, paróquias, centros pastorais, bispos, padres, diáconos, religiosos irmãos, religiosas, catequistas e a outra religião predominante em cada um dos países.

Com 108.796.000 católicos, de acordo com os dados coletados pelo professor Altemeyer Junior, o México é o país com o maior número de pessoas que se declaram católicas, com o Brasil, por muitos anos na liderança, passando para o segundo lugar com 106 milhões de católicos. A este respeito, é surpreendente que os dados mostrem que no Brasil a porcentagem de católicos atinge apenas 50%, uma seção na qual a Argentina, com 89,85%, está em primeiro lugar, praticamente empatada com o México, com 89,33%. A porcentagem mais baixa de católicos está em Barbados, com 3,4% da população.

Em termos de circunscrições eclesiásticas, o Brasil está em primeiro lugar com 278, muito à frente do México, que está em segundo lugar com 99. Em termos de paróquias, a ordem é a mesma, com 12.013 e 6.979, respectivamente. O mesmo vale para os centros de pastoral com 50.159 e 9.871. O número de bispos com 465 e 176 também é liderado pelo Brasil e México, o que contrasta com 8 países que têm apenas um bispo e 6 que não têm bispos residentes no país.

O Brasil lidera no número de sacerdotes com 24.598, diáconos com 4.770, irmãos religiosos com 111.816, irmãs religiosas com 2.7182, e está em segundo lugar no número de catequistas com 120.130. Nesta seção, o maior número corresponde ao México com 211.912, sendo o segundo em número de sacerdotes, com 15.921, irmãos religiosos, com 6.427, e irmãs religiosas, que chegam a 26.604. É surpreendente que o Chile seja o país com o segundo maior número de diáconos, que chegam a 1.032, se levarmos em conta que o número de sacerdotes é de apenas 2.395.

Para se ter uma ideia do que estes números representam em relação ao total do continente, temos que dizer que de acordo com os dados fornecidos pelo professor Altemeyer Jr., a população da América Latina e do Caribe é de 452.786.675 habitantes, 80,2% dos quais se consideram católicos. Existem 837 circunscrições eclesiásticas, 36.539 paróquias e 108.138 centros pastorais. Há 1.439 bispos, 77.140 sacerdotes e 10.181 diáconos. Há 23.670 irmãos religiosos, 113.444 irmãs religiosas e 956.792 catequistas.

São números que devem levar à reflexão e que, numa primeira análise, nos mostram a força da vida religiosa feminina e dos leigos, especialmente as mulheres, que constituem a grande maioria dos catequistas, ministério recentemente reconhecido pelo Papa Francisco, mas que não está sendo implementado com reconhecimento explícito em muitas igrejas particulares. Neste tempo sinodal, é hora de parar, pensar e, a partir dos dados, que são mais do que números frios, descobrir o que Deus espera da Igreja na América Latina e no Caribe neste momento da história.

Com informações Padre Modino - CELAM e Vatican News
Fonte: CNBB

Cúria Diocesana

Rua Tiradentes, 388 - Centro Patos de Minas/MG - CEP 38700-134

Telefone

(34) 3821-3213 (34) 3821-3184