Seja bem-vindo(a)! Patos de Minas, 27 de junho de 2022

Siga nossas Redes Sociais

Mensagem para o Dia Mundial da Missões reforça a identidade da Igreja

13/01/2022   .    Artigos de Formação
Compartilhe

Para este ano de 2022, o Papa Francisco incentiva a reflexão e o reconhecimento de que todo cristão é, por natureza, missionário, trazendo como tema para o Dia Mundial das Missões “Sereis minhas testemunhas” (At 1,8).

convite de Jesus aos Apóstolos e, depois, a toda a Igreja é para que todos cristãos possam anunciá-Lo e testemunhá-Lo com palavras e ações e, como o Papa Francisco sempre reforça, sendo uma Igreja em saída, inclusiva e acolhedora.

Dia Mundial das Missões será celebrado no dia 23 de outubro. No entanto, o comprometimento com essa proposta se estende para toda a vida, como refletiu o pontífice na mensagem para enfatizar a data.

Para ilustrar, Francisco apresentou três expressões chaves que resumem os alicerces da vida e da missão dos discípulos.

Para iniciar, ressaltou a missão e a identidade da Igreja, lembrando do compromisso do cristão batizado.

“Todos os discípulos serão testemunhas de Jesus, graças ao Espírito Santo que vão receber: será a graça a constituí-los como tais, por todo o lado aonde forem, onde quer que estejam. Tal como Cristo é o primeiro enviado, ou seja, missionário do Pai (cf. Jo 20, 21) e, enquanto tal, a sua «Testemunha fiel» (Ap 1, 5), assim também todo o cristão é chamado a ser missionário e testemunha de Cristo. E a Igreja, comunidade dos discípulos de Cristo, não tem outra missão senão a de evangelizar o mundo, dando testemunho de Cristo.”

No segundo ponto salientou que a missão é universal e sem proselitismo.

Aqui emerge muito claramente o caráter universal da missão dos discípulos. Coloca-se em destaque o movimento geográfico «centrífugo», quase em círculos concêntricos, desde Jerusalém – considerada pela tradição judaica como centro do mundo – à Judeia e Samaria, e até aos extremos «confins do mundo». Não são enviados para fazer proselitismo, mas para anunciar; o cristão não faz proselitismo. Os Atos dos Apóstolos narram-nos este movimento missionário: o mesmo dá-nos uma imagem muito bela da Igreja «em saída» para cumprir a sua vocação de testemunhar Cristo Senhor, orientada pela Providência divina através das circunstâncias concretas da vida.

Por fim, o Papa falou do Espírito Santo.

Ao anunciar aos discípulos a missão de serem suas testemunhas, Cristo ressuscitado prometeu também a graça para uma tão grande responsabilidade: «Recebereis a força do Espírito Santo e sereis minhas testemunhas» (At 1, 8). Com efeito, segundo a narração dos Atos, foi precisamente a seguir à descida do Espírito Santo sobre os discípulos de Jesus que teve lugar a primeira ação de testemunhar Cristo, morto e ressuscitado, com um anúncio querigmático: o chamado discurso missionário de São Pedro aos habitantes de Jerusalém. Assim começa a era da evangelização do mundo por parte dos discípulos de Jesus, que antes apareciam fracos, medrosos, fechados. O Espírito Santo fortaleceu-os, deu-lhes coragem e sabedoria para testemunhar Cristo diante de todos.

Francisco concluiu sua mensagem desejando que sejamos na Igreja o que já somos em virtude do Batismo, “profetas, testemunhas, missionários do Senhor! Com a força do Espírito Santo e até aos extremos confins da terra. Maria, Rainha das Missões, rogai por nós!

Fonte: Vatican News

Foto: Shutterstock

Cúria Diocesana

Rua Tiradentes, 388 - Centro Patos de Minas/MG - CEP 38700-134

Telefone

(34) 3821-3213 (34) 3821-3184