Seja bem-vindo(a)! Patos de Minas, 09 de dezembro de 2022

Siga nossas Redes Sociais

Em missa no Santuário de Aparecida (SP), a presidência da CNBB lançou solenemente a Campanha da Fraternidade 2022

07/03/2022   .    Notícias da Igreja
Compartilhe

A presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou a Campanha da Fraternidade 2022, em missa solene, no Santuário de Aparecida (SP), neste domingo, 6. O arcebispo de Belo Horizonte (MG) e presidente da CNBB, dom Walmor Oliveira Azevedo, presidiu a celebração que foi concelebrada pelo bispo auxiliar do Rio de Janeiro (RJ) e secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella Amado, e por padres assessores da CNBB.

No início da missa, o arcebispo de Aparecida (SP), dom Orlando Brandes, saudou e acolheu a comitiva da CNBB. A Mensagem enviada pelo Papa por ocasião da Campanha da Fraternidade 2022 foi lida pelo dom Joel Portella Amado no início da celebração.

Participaram da celebração o subsecretário adjunto geral da CNBB e coordenador de Campanhas da entidade, padre Patriky Samuel Batista, o subsecretário adjunto de pastoral, padre Marcus Barbosa, o assessor político da CNBB, padre Paulo Renato Campos, o representante da Pastoral da Educação e assessor da Comissão para a Cultura e Educação da CNBB, padre Júlio César e o padre Jean Poul Hansen, que está assumindo a coordenação de campanhas da CNBB.

Dom Walmor preside a celebração de lançamento da CF 2022, no Santuário de Aparecida. Fotos: Liliane Carvalho | Assessoria de Imprensa do Santuário.

Educação como caminho da fraternidade universal

.

Na homilia, dom Walmor expressou a alegria consoladora de congregar, junto a todos, na casa da Mãe Aparecida, com os representantes da CNBB para promover a Campanha da Fraternidade 2022, cujo tema é “Fraternidade e Educação”.

O presidente da CNBB destacou que trata-se de quase 60 anos da experiência das campanhas da fraternidade um processo no qual a fé vai iluminando a vida.

Ele reforçou que é a terceira vez que a Igreja volta-se à este tema. Saudou professores, educadores, pais e mães, a família como os primeiros educadores da escola da fé de cada pessoa, aos quais pediu um aplauso e saudação.

“Nós como Igreja e família somos sempre aprendizes e educadores. Ensinamos na medida que aprendemos. Por isto a nossa Igreja, conclama neste caminho quaresmal, a convertemos o nosso coração contra tudo que se contrapõe à fraternidade universal”, disse.

Dom Walmor falou das guerras, conflitos pequenos e grandes, e afirmou “ser preciso, portanto nos educar, investir na educação como ato escolar mas também como aprendizagem de um jeito humanista de ser e como caminho para superar ataques e polarizações”.

O presidente da CNBB apresentou a “Carta do Episcopado Brasileiro às famílias, aos educadores e gestores por ocasião da Campanha da Fraternidade 2022”. Segundo ele, trata-se de uma carta para agradecer o trabalho das famílias, educadores e gestores e afirmar a necessidade de que é preciso fazer mais pela educação que é, em suas palavras, Walmor, o pilar da paz e caminho da fraternidade universal.

Dom Walmor fez referência ao Pacto Educativo Global, convocado pelo Papa Francisco, como caminho sugerido para construir a fraternidade universal e para o crescimento da consciência de que a educação acontece em todos os lugares. “Movidos por este espírito caminhemos e convertamos os nossos corações por uma educação que seja o grande pilar da Paz”, concluiu.

Gesto concreto da CF 2022 – “Um coração convertido inaugura uma vida solidária”, com estas palavras o subsecretário adjunto geral da CNBB e coordenador de Campanhas da entidade, padre Patriky Samuel Batista, lembrou que no dia 10 de abril será realizada, como gesto da Campanha da Fraternidade, a Coleta Nacional da Solidariedade nas comunidades de todo o Brasil.

Padre Patriky reforçou que os recursos são destinados aos Fundos Diocesanos e Nacional da Solidariedade, os quais apoiam projetos sociais relacionados à temática da campanha. Em 2021, o Conselho Gestor do Fundo Nacional de Solidariedade (FNS), da CNBB, apoiou 80 projetos, nos quais as entidades que se candidataram se comprometeram, entre outros aspectos, a prestar contas periódicas de sua efetivação e resultados.

Após a missa, a presidência da CNBB concedeu uma coletiva de imprensa aos veículos de comunicação da região.

Padre Patriky Samuel Batista fala sobre a Coleta da Solidariedade, dia 10 de abril. Fotos: Liliane Carvalho | Assessoria de Imprensa do SantuárioFonte: CNBB

Cúria Diocesana

Rua Tiradentes, 388 - Centro Patos de Minas/MG - CEP 38700-134

Telefone

(34) 3821-3213 (34) 3821-3184