Brasão

Brasão da Diocese


Escudo

- Leva o formato do tempo imperial do Brasil, dessa forma é genuinamente brasileiro.
- Bordadura em ouro: simboliza a realeza de Cristo (Cristo Rei), sua linhagem nobre pertencente à casa de Davi.
- Seu plano é em esmalte azure (termo heráldico para a descrição da cor azul) que simboliza a linhagem real e divina de Cristo. Representa também o azul do infinito em dias límpidos (sem nuvens) e simboliza dessa forma a infinitude de Cristo.
- Contrabanda de prata: simboliza o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo: o cordeiro imolado sem mancha e sem defeito. A flor-de-lis vermelha no coração do brasão simboliza a Diocese de Patos de Minas imersa no sangue do Cordeiro imolado (sangue: princípio vital). Assim, a Diocese está incisada no Mistério de Cristo e é chamada a ser centro e difusora do Mistério Pascal. 

OBS: Na linguagem heráldica a flor-de-lis é símbolo de poder e soberania, assim como pureza de corpo e alma, candura e felicidade, adjetivos que a Diocese como representante do Reino de Deus na terra suscita nos fieis. 

- As vinte e quatro flores-de-lis de prata sobre o plano de azure representam as cidades que compõem a Diocese, incluindo a sede.
- A Dextra ( termo usado em heráldica para demonstrar o lado direito do brasão), há a cruz de madeira de Cristo, dela brotam três lírios brancos: A cor da cruz é em tan (terno heráldico para designar a cor marron), aqui representa a madeira e simboliza também a cor do habito franciscano do santo patrono da Diocese, santo Antônio. Os três lírios representam a trindade e também é o símbolo do padroeiro. Os lírios são em prata, ou seja, brancos: cor da simplicidade e pureza. 

 

Fora do Brasão


- Manto em azure com fundo em pele de Arminho branco: simboliza o manto protetor da virgem Maria que envolve de modo maternal todo o brasão. É o manto da Virgem fecunda, pois mesmo sendo virgem "gera" filhos para a Igreja. Sua cor em azure lembra também o manto com que a Padroeira do Brasil é adornada. O manto e orlado por franja de ouro lembrando a mulher vestida de sol citado pelo autor do Apocalipse e dessa forma, representa também a Igreja. O filhos ou fieis (da Diocese) gerados pela Virgem fecunda são representados pelas sete flores-de-lis incrustadas no manto na base da Mitra episcopal, são em ouro, ou seja, dessa forma os fieis são convidados a serem "jóias" moldados e cultivados por Maria e oferecidos a Deus. 

OBS: Na interpretação bíblica o número "sete" tem sentido de totalidade, por isso usamos sete flores-de-lis para representar todos os fieis da Diocese de Patos de Minas. 

- O manto sustenta a Mitra episcopal em ouro ornada com perolas e pedras azuis: representa a santidade com que o bispo deve guiar sua Diocese. A mitra representa assim, a coroa imperecível e gloriosa que será dada aqueles que se dedicarem de corpo e alma a causa do Reino.
- Os cíngulos em ouro que atam o manto da Virgem simbolizam o serviço incansável da Igreja particular de Patos de Minas em prol da evangelização de todos. 
- A Cruz processional: símbolo do cristão, é levada a frente das procissões, erguida como estandarte que abri caminhos, que guia mostrando aos fieis que não devem perder seu ponto de partida. É de ouro com cinco rubis cravejados simbolizando as cinco chagas de Cristo, nos faz aludir ao suplicio do Senhor na Cruz, fomos resgatados por sua morte de Cruz.
- O Báculo em ouro é a insígnia episcopal, símbolo do pastor (bispo) que conduz seu rebanho. É o pastor que zela por suas ovelhas.
- O listel em branco ( termo empregado na heráldica para se referir a uma faixa de pano), tem a inscrição em latim, língua oficial da Igreja: Dioecesis Patensis (Diocese de Patos de Minas).
- As cores metal-ouro e branco que compõem o brasão e os adornos lembram as cores da bandeira vaticana simbolizando assim, a submissão e pertença da Igreja particular de Patos de Minas a Cátedra de Pedro.

 

 



Mitra Diocesana de Patos de Minas:
Rua Tiradentes, 388, Centro - Patos de Minas - MG - CEP38.700-134 -
(34) 3821 3213/3821 3184 - contato@diocesedepatosdeminas.org.br

©2012 Diocese de Patos de Minas
WEBTOP



SETH